Sábado, 9 de Julho de 2005

X Capítulo " As Virtudes do Casamento "

Nós os três (D. Claúdia, a minha imperial Catarina e eu) fomos até ao sítio do costume ter com o nosso idoso amigo e esposo (no caso de D. Claúdia) porque ele nos queria explicar as doces virtudes do matirmónio e chegamos ao mítico 4º andar dos armazens do chiado e nas televisões de plasma que estão sempre expostas na entrada estavam os dois dvd dos dois Live Aid e noutras duas que estão na secção de audio/tv dvd's uma edição especial em dvd dos Queen e de Freddie Mercury a solo e na tv aonde passava o dvd de Freddie Mercury passava algo de soberbo que os meus avós adoravam e os meus pais (que apesar de já terem nascido após a morte de Freddie Mercury) aprenderem a gostar e até eu apesar de ter nascido na geração do novo hip-hop nunca pode deixar de admirar essas duas vozes admiráveis e imortais que sempre serão para mim as melhores de sempre, Freddie e Monserrat Caballé.
E chegamos ao café da Fnac e o nosso amigo de brancos cabelos após trocar doces beijos com a sua doce e eterna Claúdia nos cumprimentou efusivamente.
Não pude deixar reparar que o meu amigo Pedro tinha consigo vários Livros e dvd's e dois dos pares de dvd's e livros me chamaram especialmente a atenção Reiki e outro sobre cobras venenosas e achei inusitada a mistura de assuntos como achei inusitado achar a D. Claúdia sozinha na Cyberia e senti algo no ar que não era so para nos incentivar a casar ou para marcar uma data bonita para a nossa boda mas que o nosso casal de idosos amigos nos queria dizer algo, em especial o nosso amigo Pedro. E acbaei por advinhar.
- Meu jovem amigo Afonso estás com cara de surpreendido, porquê ?
- Devido as suas escolhas de leitura, meu amigo Pedro, cobras venenosas não ligam muito com Reiki.
E a minha doce e imperial Catarina disse:
- Pedro esse livro tem cobras mesmo arrepiantes.
- Meus amigos ao ver a exibição a exibição dos Live Aid me fez recordar algo que me tinha esquecido talvez ao tratamento que fiz na Califórnia e as voltas que a minha vida deu acabei por esquecer até hoje.
-Mas qual a ligação entre Reiki e cobras venenosas, meu amigo Pedro perguntou a minha dulcissima Cathy
E o meu amigo Pedro respondeu logo a seguir:
- Por alturas da orgranização do Live Aid II que teve como nome oficial Live 8 e que pouco tempo tempo depois aconteceu o Massacre de Londres ou 7/7, conheci pelo sapo messenger muito antes de conhecer a minha eterna doce jóia Claudinha, uma amiga que era aluna de Reiki e que apoiou bastante na forma como lidar com a minha irmã (o que me fez ganhar interesse pelo Reiki) quando ela conheceu uma cobra bem traiçoeira e ainda mais venenosa que a minha irmã . O meu cunhado mais recente.
- Por que o considerou assim ? Voltou a perguntar a minha doce Catarina.
- Ele no início aparentava ser bom amigo mas se foi revelando como era na realidade mas nas mais pequnas coisas.
- Tais como ?
- A minha mãe lhe pedia para ele não contar certas coisas a minha irma mas ela acabava sempre por saber e ele povocava sempre a mim ou a minha mae e uma vez tirou crédidto a minha mae e outra mexeu indevidamente na conta bancária da minha irma.
- De facto ele era uma cobra.
Entretanto D. Claúdia nos interrompeu e perguntou se queriamos alguma coisa para comer e beber e só pedi um folhado de carne e uma vitamina o que acabou por ser o pedido de todos nós e ajudei D. Claúdia a trazer as coisas para a mesa que nos soube bem como o mel e retomamos a conversa.
- Mas como a sua irmã conheceu esse "frasco de veneno" pior que ela.
- Foi no emprego que ela tinha altura que a minha sobrinha mais nova tinha quase um ano. E mal eu sabia que o gajo metia dorga e para completar o ramo a minha irma se enamorou dum chefe e um ex namorado dela que morava no bairro da Boavista que ganhou a alcunha do boi da Boavista se começou em armar em galo.
- Se armou em galo ? Perguntou a minha preciosa imperatriz.
Fazia chantagem com a minha irmã que no caso de ela não lhe mostrar a filha mais nova dela, ou seja, a minha sobrinha mais nova lhe poria um processo em tribunal para lhe tirar as miudas.
- Mas as miudas não eram filhas dele, pois não ?
- Não, mas a mais nova na condição de ele só dar o nome por que o legítimo progenitor da mais nova queria separar as irmãs e a mais velha não tem nome de painem nuca se importou com o facto.
- Mas porque a sua irmã não fez o mesmo com a segunda filha, Pedro ?
- Na altura era obrigatório ter o nome de pai, não bastando a palvara da mãe se queria ou não que a criança tivesse nome de pai ou qual o homem que era o pai da criança como agora se faz que caso a mãe queira a criança pode ser registada sem nome de pai.
- Mas o dito processo como e quando começou ?
- Começou algum tempo depois do massacre de Londres, o 7/7, e ele vinha ja acontar com uma vitória fácial até ao teste de ADN que deu negativo, ou seja, a paternidade dele era falsa e o gajo sumiu após pagar uma multa que lhe serviu de lição além das custas judiciais.
- Então...
- Sim as duas foram dadas como filhas de pai incónito, o que para para algumas feministas do pós-25 de Abril possa ser anti-ético as vezes é o melhor porque há homens que em vez de serem pais são animais assassinos e violadores.
Entretanto D. Claúdia cortou o ambiente tenbrsos da conversa e temendo pela sáude do seu precioso Pedro, interrompeu a chuva de mágoas perguntando:
- Meus jovens amigos já têm alguma ideia para a data do vosso casamento? É que vocês merecem serem felizes juntos e não vão ter o azar ou má cabeça que a minha cunhada teve.
A minha imperial e doce Catarina sempre vivaça e prespicaz respondeu:
- Estamos a pensar no verão porque ha mais sol as fotos ficam mais bonitas e a pessoas têm mais energia positiva, além de virem sempre crinças oq que dá sempre a qualquer boda.
- Tem alguma data a suegrir ?
- Nos santos populares ou nas alturas de Agosto por que é quando há mais sol.
- Obrigado pela sugestão D. Cláudia a vou dar aos meus pais dado que eles estarem habituados a organizar fesstas e churrascos.
- E os meus pais a vão aprovar com distinção além de adorar, disse a minha imperial Catarina.
- Porque os meus pais forma noivos de Santo António.
- Acabei por dar uma ideia romântica a uma par de pombinhos ainda mais românticos que nós, disse D. Claúdia para o seu amado Pedro o qual repsondeu afirmativamente.
Depois de nos despedirmos dos nossos idosos amigos, fui levar a minha imperatriz a sua casa e demorou mais tempo que o habitual por que cada passo que davamos nos ponhamos aos beijos doces e profundos qté que chegamos a porta de sua casa e me despedi dela com beijo igual como lhe dei na nossa primeira noite de amor quando comemeramos o nosso noivado e quase ela me convidou para subir.
Mas naquele dia não dava porque ambos iamos ter no dia seguinte nos nossos empregos um dia chato a valer e os pais dela estavam em casa e poderiam levar a mal que nos fizessemos uma noite igual a da "nossa festa privada de noivado" onde deixamos a casa em estado de guerra devido a "força" do nosso amor em especial a sala a cozinha e quarto da minha imperial Cathy e acabei por seguir para casa sonhando acordado com o meu casamento com a minha imperial e sempre doce Catarina.
publicado por tron às 15:13

link do post | Os vossos suspiros | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 12 de Setembro de 2005 às 23:46
Continua... pf... porque adoro ler o que escreves. JinhosPerfect Woman
(http://perfectwoman.blogs.sapo.pt/)
(mailto:perfect_woman63@sapo.pt)
De Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 20:59
Pois é, voltaste para continuar os teus capitulos, é bom fazermos aquilo de que gostamos.gaivotadaria
(http://GaivotadaRia.blogs.sapo.pt)
(mailto:bgaivota@sapo.pt)
De Casamento, Noivado Ui! a 7 de Abril de 2008 às 19:34
Bem, post bem longo, mas é sempre bom saber que o casamento permite festas de noivado privadas e sem horas para acontecerem, é assim o casamento, Marta.

comentar capítulo

Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Capítulos

XX Capítulo " Ao Ritmo Da...

XIX Capítulo " O Sobrinho...

XVIII Capítulo " Os Peq...

XVII Capítulo " Os Amigos...

XVI Capítulo " Grandes De...

XV Capítulo " Desleadades...

XIV Capítulo " A Aceitaçã...

XIII Capítulo " Doce Domi...

XII Capítulo " Dolorosas ...

XI Capítulo " Correntes Q...

arquivos

Dezembro 2006

Setembro 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Maio 2005

Abril 2005

visitas

Anti-depressants

Blogstars

I Was Born To Love You

Friends Will Be Friends

These Are The Days of Our Lives