Sábado, 28 de Maio de 2005

IX Capítulo" A Verdadeira Despedida de Isabel "

Convenci a minha imperatriz a trocar a sua folga semanal com a sua colega sub-gerente de maneira que coincidisse com a minha e dessa vez não estava muito virado a ir para Fnac mas sim a Cyberia, a dita ciberdiscoteca aberta 24 horas que a Beatriz Maria, filha do meu amigo Pedro é sócia, e nós entramos na Cyberia de mão dada trocando beijos dulcíssimos: como música de fundo estava passando um clássico da música tecno "One More Time" dos Daft Punk (grupo que o meu avô ja me tinha falado como um dos melhores do género) e pedimos duas coca-colas de cereja para nós os dois e numa mesa estava surpreendentemente sozinha a esposa do meu idoso amigo Pedro, nossa também amiga D. Cláudia que parecia estar a nossa espera para nos dizer algo ou então para falar a sua filha Beatriz Maria.
 Mas algo a minha doce Catarina sentiu e por sua iniciativa se foi sentar na mesma mesa de D. Claúdia e eu fui atrás; depois de nos cumprimentarmos ela me perguntou como eu conheci o meu idoso amigo e eu descrevi o nosso encontro no café da Fnac, mas D. Claúdia nos disse que o nosso amigo Pedro quis dar uma visão romântica dum momento doloroso da sua juventude. A minha doce e mui amada Cathy ficamos a olhar um para outro surpreendidos pela revelação de D. Claúdia e a minha doce imperatriz perguntou:
- Como assim uma visão romântica ?
 - Vocês ficaram a saber da atitude dos pais dela e da ida para o norte, correcto ?
 - Sim ficamos.
 - E, como ele, meu eternamente amado Pedro vos disse como eles acabaram ?
 E aí respondi eu.
 - Me disse que foi depois dela ter voltado do norte dado poder ficar mais em Portugal e muito menos ele poder ir para Angola e lhe deu como prenda um cd dos Queen.
 - Meus amigos primeiro vos vou pedir que em nome da nossa amizade que essa conversa fique em segredo dado ser um assunto doloroso para o meu amdo Pedro porque vos vou contar o verdadeiro fim do namoro entre o meu amado marido e a cabra da Isabel.
 - Descanse D. Cláudia que guardaremos segredo de tudo que nos contar.
 - Foi assim meus amigos: como vocês devem saber eles só se viram duas vezes ao vivo e ela era sempre desviada para suspostos jantares e comprimissos, depois da ida para o norte ela voltou para Lisboa e disse que tinha supostas prendas que lhe deu e além disso estava sempre nos ditos comprimissos, entrementes ela saiu do hotel dando a desculpa que precisavam do quarto da família dela por causa dum jogo grande de futebol mas nem para um café aqui na Casa Macário ela o convidou e isso aconteceu na semana em que o Sporting jogou com CSKA de Moscovo na Final da Taça UEFA em Alvalade. E todos dormiam no mesmo quarto segundo deu ela a entender ao meu Pedro.
 - O jogo da grande infâmia como chama o pai da minha mãe (disse a minha Cathy).
 - Mas nessa semana, jogos grandes que até decidiam o campeão desse ano eram todos na cidade do Porto e jogo grande no fim-de-semana foi um Benfica-Oliveirense em hóquei em patins que eu ver ao pavilhão da Luz e no domingo ela saiu do hotel sem se despedir do pobre Pedro para a casa dum suposto irmão na Amadora.
 - Mas D. Claúdia a zona do estádio da Luz não tinha hoteis próximos na altura ?
- Tinham, ficavam no outro extremo da segunda circular, mas equipas de hoquei estagivam e estagiam sempre fora do barulho da cidade em especial na segunda fase do campeonato como era aquele jogo que contava para a segunda fase.
 - Então essa história do jogo era mentira.
 - Sim meus amigos era.
 - Mas mesmo assim morando na Amadora ela poderia ver o nosso amigo Pedro.
 - Pois podia tem comboio e na altura o metro ja tinha chegado a periferia da Amadora, mas mesmo assim nunca o viu e além disso na para primeira estada no norte que era para durar 9 dias durou um mês e começou no fim-de-semana em que ele fazia anos. Ela ate lhe contou uma história que ia pedir ao irmão para ficar em Lisboa nesse mesmo fim-de-semana e que além da avó era a única família que tinha em Portugal.
 - E a história era verdadeira ?
 - Falsa, porque nesse mesmo mês enquanto ela estava no norte o meu amado Pedro, ainda era um jovem teve que ir com a minha também amada sogra a EPAL e lá por acaso descobriu uma prima dela que morava em Lisboa.
 - Coitado do Pedro.
 - E não foi tudo, subitamente quando ela estava na casa do irmão por suposta ordem do pai voltaram para a casa da avó em Vila do Conde e partiram do Sá- Carneiro para Angola para sempre. E quem lhe deu o cd dos Queen nessa altura foi a minha doce sogra, o album Innuendo o qual ele ainda ouve.
 - Mas porque ele deu esse ar romântico da forma como as coisas acabram entre eles.
 - Por que ele tem o defeito de gostar em demasia das pessoas que muitas não merecem além de ser um romântico incurável , e depois acabaram duma forma fria e distante numa sessão de chat.
 - Que triste história D. Cláudia, pobre Pedro sofrer por quem não merece.
 - Vos contei isso porque esse peso já me atromentava a algum tempo e a ver um casal tão belo e perfeito como vocês ainda mais me obrigou a contar isso.
 - Mas descanse minha amiga que esse triste acontecimento que nos contou ainda nos deu mais força para continuar juntos, o que a Isabel fez ao seu amado Pedro e nosso amigo é algo de hediondo e se sabia à partida que a possibilidade de eles ficarem juntos era nula ou quase nula mais valia ficarem amigos e e penso que ela só queria o nosso amigo e no seu caso esposo Pedro para sexo e não como um esposo.
 - Acho que tens razão, Afonso porque ele estava mutio magoado e pior passei eu para abrir o coração do meu Pedro ao amor que lhe tinha para dar para toda a eternidade mas consegui.
 Bebemos mais um par de colas de cereja fomos até ao sítio do costume após trocar dois dedos de conversa com a filha do nosso amigo Pedro, Beatriz Maria (que acabou por nos ofrecer as colas), porque o nosso idoso amigo estava a nossa espera no café da Fnac poruqe nos queria lembrar das virtudes do matrimónio, mas eu e a minha imperial Catarina mas pensando naquilo que que a pérfida Isabel fez ao nosso amigo Pedro que afinal não era assim tão agrilhoada como Pedro pensava.
publicado por tron às 14:11

link do post | Os vossos suspiros | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 28 de Maio de 2005 às 22:48
Obrigada pela visita ao meu Blog.
Cá estou eu,lendo mais um capitulo do teu romance, regressaste, já faz algum tempo que não continuava o romance da tua doce imperatriz :)gaivotadaria
(http://GaivotadaRia.blogs.sapo.pt)
(mailto:bgaivota@sapo.pt)

comentar capítulo

Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Capítulos

XX Capítulo " Ao Ritmo Da...

XIX Capítulo " O Sobrinho...

XVIII Capítulo " Os Peq...

XVII Capítulo " Os Amigos...

XVI Capítulo " Grandes De...

XV Capítulo " Desleadades...

XIV Capítulo " A Aceitaçã...

XIII Capítulo " Doce Domi...

XII Capítulo " Dolorosas ...

XI Capítulo " Correntes Q...

arquivos

Dezembro 2006

Setembro 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Maio 2005

Abril 2005

visitas

Anti-depressants

Blogstars

I Was Born To Love You

Friends Will Be Friends

These Are The Days of Our Lives