Quarta-feira, 27 de Abril de 2005

VI Capítulo " O Dia Seguinte "

Passamos a noite juntinhos na casa dos avós da minha doce noiva Catarina, mais precisamente no quarto de hóspedes, por que o amor entre nós foi crescendo, foi crescendo até que acabamos passando a noite um com outro, uma noite do mais doce amor mas com as devidas precauções.

 A nossa sorte era que a Segunda-Feira seguinte era feriado, mais precisamente 25 de Abril e foi a noite de 25 de Abril mais feliz e mais bela das nossas vidas onde nos entregamos uma ao outro onde nos descobrimos em amor na festa dos sentidos e acordamos bem abraçados uma ao outro.

 Bem eu acordei primeiro e depois acordei a minha princesa com um doce e delicado beijo nos seus suaves lábios, depois desci a cozinha e preparei um pequeno-almoço para nós os dois recuperamos forças da nossa primeira noite de amor, depois fomos tomar um retemperante banho a dois mas o desejo que houve entre nós se reacendeu no banho onde trocamos doçuras ainda mais escaldantes do aquelas que trocamos durante a noite e nos estivemos amando até as 16:00 quando almoçamos.

 - Ai, meu bombom cada vez te amo mais.

 - Minha jóia tu és mais preciosa do que todas as jóias que eu te possa dar.

 - Afonso cada vez me dizes coisas mais bonitas.

 - Tu és uma rosa doce e preciosa como todos os diamantes dos mundo.

 - Afonso, cada vez me deixas mais apaixonada por ti.

 - Te amo muito minha fofinha, linda e doce.

 - Te amo muito meu fofinho lindo e doce.

 E continuamos a trocar doçuras até que fomos interropidos pela avó da minha preciosa noiva, D. Elizabeth duma forma delicada:

- Meus pombinhos querem jantar aqui em casa ou vão jantar fora ?

 - Cara sra. agradecemos o convite mas amanhã temos que trabalhar e ainda tenho que levar a sua doce neta a casa. Comemos alguma coisa pelo caminho mas lhe agradeço a mesma o convite para jantar.

 E nos pusemos a caminho para a estação de comboios perto da casa dos avós da minha princesa que fica em Vila Franca de Xira e nos agarramos aos beijos enquanto o comboio para Lisboa não chegava. Entretanto o dito comboio chegou o fomos trocando doçuras dulcíssimas até chegarmos a estação de Entrecampos aí saimos os dois e fomos até ao McDonald's da Avenida da República onde jantamos antes de eu levar a minha doce noiva até a a sua casa e a levei e a deixei a sua porta e nos despedimos com um longo e doce beijo nos nossos lábios.

 Mais tarde fui ao multibanco que fica por baixo da casa dela e levantei 20 euros para ir de táxi até casa porque estava muito cansado da viagem mas ao mesmo tempo estava nas nuvens por que ia casar com a mulher da minha vida.

publicado por tron às 15:57

link do post | Os vossos suspiros | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 1 de Maio de 2005 às 00:42
oieee passei akk no seu flog.. ou blog.. hehehe
bjoss.. t+ Rafaella
</a>
(mailto:impratriz@hotmail.com)
De Anónimo a 29 de Abril de 2005 às 19:39
A próxima adocicada etapa será passada no dia do trabalhador, quase de certeza...dia 1 de Maio
:)gaivotadaria
(http://GaivotadaRia.blogs.sapo.pt)
(mailto:bgaivota@sapo.pt)
De Anónimo a 27 de Abril de 2005 às 20:16
Não resisti e vim ler a doce história do Afonso e da Catarina. Só uma pergunta: eles são africanos? Pelos diálogos... tive essa impressão... Muito interessante! :)digoeu
</a>
(mailto:digoeu@sapo.pt)

comentar capítulo